15 de janeiro de 2010

Shy moon



Ergui os olhos pra lua
e implorei.
Mas ela era ainda nova
enquanto que eu,
já estava cheia.

7 comentários:

pinguim disse...

Ai que andas a comer demasiado...

Primeira Pessoa disse...

te li e um certo (muitas vezes errado) caetano começou a tocar em meu coração.

me deu vontade de escrever coisas lindas, sabia?

eu que sei que não sei escrever coisas lindas.

queria ser maior do que sou, uns dois palmos, só pra traduzir em palavras o que sinto.

sei que sou grandão no sentir.

crê em mim?

abração,
roberto.

gentil carioca disse...

Pinguim, ninguém escapa ao fim de ano e seus perus, rabanadas, bacalhaus e que tais...rsrsrs

Roberto, não creio: leio você. E basta.

bjs

mara* disse...

Astronauta errante, contento-me a sentar na vírgula da lua minguante para ouvir o saxofone de us and them.

gentil carioca disse...

Cabe mais um aí, Mara*?

Murilo Hildebrand de Abreu disse...

A poesia recheada de humor digna de uma mestre zen... maravilhoso.

E, claro, Sônia, seria uma grande gentileza sua se você quisesse postar em seu blog qualquer um dos meus textos. É um dos maiores elogios que já recebi.

Abraços e muito obrigado.

Murilo

gentil carioca disse...

Thanks, Murilo. Agora mesmo. Uma honra.