9 de dezembro de 2009

Para E.

Eis que recebo o release de mais um - e nunca demais - livro, esse de Ronaldo Werneck, sobre Humberto Mauro, grande mineiro da Zona da Mata que, lá do início do século passado, veio a se tornar O grande Nome do cinema nacional, referência fundamental para outros grandes cineastas como Glauber e Nelson Pereira dos Santos.

Quem não conhece HM não sabe o que perde. Diz-se dele que é o verdadeiro fundador do Cinema Novo. Diz-se, também, que o mais brasileiro de todos os nomes de nosso história cinematográfica, visto serem suas obras verdadeiros libelos de nossa cultura, de nossas gentes, nosso folclore e de nossa música. E de fato: em seus mais de 80 filmes, entre curtas, longas e documentários, o Brasil é o personagem principal.

E que enquadramentos, meu Deus! Que fotografia! Os contrastes entre "seus pretos e seus brancos" são verdadeiros bálsamos para esse nosso mundo inundado por fotoshopagens...

Ao ler o tal release, lembrei-me logo do filme que segue abaixo, provavelmente um dos primeiros video-clipes do mundo, o último dirigido por nosso cineasta em questão. Foi produzido em 1964, e é uma jóia que vale a pena ser apreciada até o final, e de novo e mais uma vez: não cansa nunca, enleva e nos faz sorrir aquele sorriso das crianças encantadas.

Ofereço ao balseiro Edu Campos ("até a margem do grande rio", ali ao lado linkado), fotógrafo como Humberto Mauro, recém chegado de uma aventura por outras matas que não as de Minas, mas que imagino igualmente mágicas, cheias de bois, e cachorros, e aranhas e de velhas a fiar...



Obs.: o ator é Matheus Collaço e a música, de nosso folclore, é intrepretada pelo Trio Irakitã. Delícia pura!

4 comentários:

E. Campos disse...

Dá-lhe !
Humberto Mauro é grande. Esses pequenos filmes que ele fez, se não me engano, para o Ministério da Educação, foram lançados em VHS, há mais de 20 anos, numa série chamada Brasilianas. São muito bonitos. "A Velha a Fiar" é um clássico.
De Cataguases, ele, não é isso ? Fez também um clipe para o "Azulão", que tem letra do Manuel Bandeira e música não sei de quem, difícil de esquecer aquilo.
Fiz faculdade de Cinema. Bebi H.M. de jarra. Deve ter dado nessas fotos que fiz.
Mas antes de qualquer coisa, a gente nasce e cresce nesse Brasil. Uns gostam de verdade, outros preferem Londres ou NY.
Valeu !
Beijão.

P.S. Me manda um e-mail teu pela balsa, quero te mandar uma bela foto do Morro de Santa Teresa, pra você colocar aí. Foto gringa, de 1957.

O Profeta disse...

Sopro esta brisa que percorre as cumeeiras
E arrasto comigo este denso e frio nevoeiro
A noite envolve-me em seu escuro manto
Um milhafre soltou um grito derradeiro

O fogo surgiu do nada
A chama da paixão lambeu uma pedinte mão
Que levou o calor tatuado, abrasador a outra
Duas mãos postas, apontam ao divino uma oração

Na calada da noite despertam os sons
Mil olhos são estrelas na terra
O feitiço da Lua envolve os amantes
O amor tem como pano de fundo doce quimera

Voa comigo no feitiço do vento


Mágico beijo

J Alexandre Sartorelli disse...

Ótimo o nosso HM.
E gostei muito de sua visita :)
bjs

Dri Viaro disse...

Hoje é sexta, então sorria!!
E tenha um fds abençoado
bjsss

ja estou seguindo o blog