2 de agosto de 2009

Cristo salva?

Em que pese a utilidade dos credos e das crendices para quem Acredita, fico aqui no meu cantinho só observando as mazelas que se vive em nome do Senhor.
Ao sair do trabalho outro dia, encontrei alguns seguidores de alguma seita/corrente/congregação(?), cristã com certeza, que saem pelas ruas da Lapa vestidos com túnica marrom amarrada na cintura, velhos chinelos franciscanos, cabelos (muito mal)cortados bem rente, olhar tipo "esgazeado" (sempre quis usar essa palavra! Nem sei se é a exata para o momento, mas foi a que me ocorreu).

Alguns muito jovens, imagino que em torno de seus 20 anos, eles até se prestam a nobres serviços, tipo fazer a higiene dos mendigos que pululam na área e, eu os segui por alguns instantes só por curiosidade, no supermercado dizem coisas como "o senhor é bom", ou "o senhor é grande" a cada pedaço de mortadela ou saco de pão que compravam.

Opção não se discute, ok, cada um sabe a dor e a delícia etc etc, mas o que será que se passa na cabeça dessas quase crianças para optarem por um tipo de vida de segregação? Ao se imputarem semi-andrajos como vestimenta, a não vaidade absoluta, ao se relacionarem na intimidade apenas com seus iguais, não estariam elas também indo contra a...ahn...vida que "o Senhor", afinal, para o bem, ou para o mal, nos deu condição de criar?

Estudei em colégio de freiras, algumas à moda antiga, e várias vezes me surpreendeu uma certa "maldadezinha" que nos chegava em forma de castigos, de absurdos como o de dizer a uma criança que se comesse o sal do fundo do saquinho de pipoca o xixi ia sangrar!! Culpa, sempre ela. Culpa por ser mulher e menstruar, culpa por ter dinheiro, culpa por ser bagunceira, culpa por gostar de dançar, culpa por querer dar beijo na boca...Culpa por estar viva, caralho!

Não é sem motivos que não gosto de religiões e das vilanias que se comete em nome de Deus.
E foi com absoluta convicção que, ao me formar pela Pontifícia Universidade Católica, coloquei na lapela um bottom onde estava escrito "I Survived a Catholic School".

3 comentários:

Edmar disse...

Muito bom!
Quem diria...
Priscila,A Rainha da Galiléia colhida pelo 433. Jesus!

Byers disse...

Oie flor! tudo bom !?

Nossa desculpe a ausencia.A revista está me consumindo todo o tempo.

Mas acho que o esforço valerá apena.

Sobre o seu post, concordo com o que disse, eu tenho uma dúvida sobre a religião, ela se propoe a ser nosso caminho de religação com o "senhor". Mas admitindo que Deus exista, será que há apenas um caminho pré-definido para chegar até ele?

Complicado, e até onde seguir esse caminho, com suas regras contro-versas vale o esforço?

gentil carioca disse...

Edmar, tá vendo? O trânsito está cada vez pior! Nem Cristo salva...

Byers, se Deus existir, não há de criar caminhos até Ele, certo? Afinal, todos conduzem à Roma!
bj e thanks pela visita.